FAÇA SEU EXAME MÉDICO

               Tel: (31) 3271-9979

Doenças causadas pelo estresse no trabalho

O estresse é um dos maiores inimigos dos trabalhadores e das empresas na atualidade. Ele interfere na sua qualidade de vida dentro e fora do ambiente organizacional. Além disso, pode gerar outras doenças que levam ao afastamento de funcionários na sua empresa.

Dessa forma, é essencial entender o que é o estresse no trabalho, quais as doenças ocupacionais ele gera e como combater esse problema para garantir qualidade de vida aos seus colaboradores. Descubra tudo isso neste artigo!

O que é o estresse no trabalho?

O estresse é uma reação fisiológica normal do corpo que prepara as pessoas para lidar com situações desafiadoras. Porém, quando em níveis elevados ou por um longo período de tempo, pode gerar problemas a longo prazo para os indivíduos.

Com o mercado cada vez mais competitivo, as empresas estão exigindo mais dos seus colaboradores. Isso faz com que eles ultrapassem os seus limites pessoais de trabalho, assumindo mais tarefas do que consegue realizar, tendo que lidar com prazos apertados e exigências de qualidade maiores do que o seu real potencial produtivo.

Todo esse cenário desencadeia o que é chamado de estresse no trabalho e conviver com essa tensão diariamente pode gerar uma série de reações fisiológicas e comportamentais nos seus funcionários. Ele gera aumento da pressão sanguínea e dos batimentos cardíacos. Também pode causar problemas no sono, como insônias, insatisfação com a empresa, desmotivação, queda da qualidade de vida e da produtividade. Além disso, ele pode provocar doenças mais sérias, como a depressão e ansiedade.

Descubra agora as doenças desencadeadas pelo estresse no trabalho e como combatê-las.

Quais são as doenças causadas pelo estresse no trabalho?

Existem diversos transtornos psicológicos e doenças fisiológicas que podem ser desencadeados quando os seus trabalhadores são expostos a altos níveis de estresse por um longo período de tempo. Conheça agora as principais:

1. Depressão e ansiedade

O estresse no trabalho pode levar os seus trabalhadores a desenvolver quadros de depressão e ansiedade. A depressão é um quadro no qual os indivíduos perdem o interesse na maioria das atividades diárias. Além disso, essas pessoas deixam de reagir a estímulos de prazer e, com isso, perdem a motivação para trabalhar e viver, atingindo todas as áreas da vida do seu colaborador.

Já quadros de ansiedade desencadeiam um constante estado de inquietação e tensão. Há um aumento da frequência cardíaca sem motivo aparente e intensa preocupação com o futuro, além de dificuldade para se concentrar e executar as tarefas do dia a dia. Casos agudos podem resultar em crises nervosas de grandes proporções.

Atividades de integração e lazer, além de orientação psicológica são excelentes ferramentas que devem ser usadas pelas empresas para diminuir a ocorrência dessas doenças de trabalho.

2. Transtornos alimentares

A exposição contínua a situações de estresse pode levar ao desenvolvimento de distúrbios alimentares perigosos, entre os quais estão a anorexia e a compulsão alimentar.

A pessoa acometida pela anorexia evita ou não sente vontade de comer, podendo chegar a provocar vômitos após refeições consideradas inapropriadas ou abusar do uso de laxantes, entre outras medidas extremas. Tal situação resulta na deficiência de substâncias necessárias para o funcionamento adequado do organismo.

A compulsão alimentar se caracteriza pela ingestão de grandes quantidades de alimento em curtos intervalos de tempo e é normalmente desencadeada pela busca por uma sensação de prazer momentânea capaz de amenizar frustrações e insatisfações.

3. Insônia

A insônia é um distúrbio do sono que pode atingir os seus colaboradores de diferentes formas. Pode ocorrer quando há dificuldade para adormecer ou para manter o sono durante toda a noite. Dessa forma, pessoas que sofrem com a insônia acabam reduzindo o tempo e qualidade do seu sono, uma vez que podem acordar diversas vezes durante a noite, prejudicando o ciclo normal e saudável de sono.

Isso prejudica o descanso do seu colaborador, que não consegue repor as energias do dia durante a noite. Além disso afeta o funcionamento do seu cérebro, que precisa descansar, gerando dificuldade de concentração e sensação de cansaço durante todo o dia. Isso compromete a sua rotina pessoal e profissional, afetando o seu dia a dia.

4. Síndrome de Burnout

A síndrome de burnout caracteriza um esgotamento generalizado, ou seja, tanto físico quanto mental, intenso causado pelo desgaste da rotina. Ela afeta os profissionais de diversos ramos, gerando mudanças súbitas de comportamento, irritabilidade, desinteresse, isolamento e paranoia. Ela geralmente é confundida com a depressão, sendo importante um diagnóstico criterioso de um profissional da medicina do trabalho para identificá-la.

Comumente confundida com a depressão, seu diagnóstico deve ser feito de forma criteriosa.

É inegável a importância da medicina do trabalho como parceira no controle do estresse no ambiente de trabalho.

5. Doenças cardiovasculares

Atividades e situações estressantes desregulam o fluxo do sangue e a frequência cardíaca, além de interferir na liberação de substâncias na corrente sanguínea. As consequências são problemas cardiovasculares graves, como hipertensão arterial, formação de coágulos e aumento do risco de infarto e AVC.

Cuidar de seus funcionários é cuidar do seu negócio! A adoção de políticas voltadas à qualidade de vida no trabalho, como implantação de áreas de convivência, estímulo a hábitos saudáveis e o acompanhamento de profissionais especializados pode ter impactos altamente desejáveis, como a diminuição das ocorrências de doenças de trabalho e o aumento da motivação e do engajamento de sua equipe.

6. Síndrome do intestino irritável

Pessoas estressadas também podem sofrer com problemas em seu intestino. O órgão pode ficar mais sensível aos alimentos e estímulos que recebe, causando diarreias constantes e distensão abdominal, por exemplo.

Além disso, o efeito contrário também pode ocorrer. Assim, em vez de diarreia, o indivíduo estressado pode sofrer com alterações na flora intestinal que acarretem na prisão de ventre e dificuldades em ir ao banheiro.

7. Síndrome do pânico

A síndrome do pânico é um transtorno de ansiedade que se caracteriza por gerar o que é chamado de ataque de pânico com determinada frequência nos indivíduos. Esses ataques são momentos de ansiedade e medo intensos sem um motivo aparente, nos quais a pessoa acredita que vai morrer.

Esses ataques, além de gerar sofrimento intenso para o indivíduo, prejudicam intensamente a rotina das pessoas uma vez que elas estão sempre com medo de perder o controle da situação. Isso faz com que a pessoa deixe de sair de casa inclusive para a realização de atividades rotineiras.

8. Queda de imunidade

O estresse no trabalho também pode afetar o sistema imunológico do colaborador. Isso acontece porque o cortisol, o hormônio responsável pela defesa do nosso organismo, passa a ser produzido em grande quantidade por pessoas estressadas.

Com excesso de cortisol, o organismo entende que não é necessário se proteger, deixando a pessoa mais propensa a adquirir diversas doenças como gripes, resfriados, entre tantas outras.

9. Diabetes

Como o estresse causa transtornos alimentares e ansiedade, uma pessoa estressada pode ingerir mais alimentos pouco saudáveis e com taxas elevadas de açúcar. Isso pode acarretar no aumento dos níveis de glicose no sangue, causando o chamado diabetes do tipo 2. Esse quadro pode se agravar no caso de pessoas que já são diabéticas, gerando diversos problemas no funcionamento do seu corpo como um todo.

10. Enxaqueca

O estresse no trabalho pode desencadear quadros de enxaqueca — dores de cabeça frequentes e intensas — nos seus colaboradores. Essas dores podem ser tão intensas que fazem com que os indivíduos não consigam sair do seu próprio quarto, uma vez que a luz e o movimento agravam o quadro. Além disso, apenas medicamentos fortes conseguem aliviar o sofrimento de quem sofre com esse problema.

11. Doença de Alzheimer

Engana-se quem pensa que o estresse causa apenas doenças que se manifestam em um prazo curto. É possível que uma pessoa estressada desenvolva lesões cerebrais que podem ser responsáveis pelo aparecimento da doença de Alzheimer na velhice.

A enfermidade é causada pela morte das células cerebrais e se apresenta como demência ou perdas das atividades cognitivas — linguagem, memória, atenção e orientação. O Alzheimer não tem cura, mas, se for diagnosticado e tratado no início, é possível controlar o seu avanço e amenizar os sintomas.

Como acabar com o estresse no ambiente da minha empresa?

Como você pode perceber, o estresse no trabalho traz diversos malefícios para os seus colaboradores. E esses prejuízos não interferem apenas na sua vida profissional, mas se estendem para as outras áreas da sua vida pessoal levando a uma intensificação cada vez maior do quadro patológico.

Dessa forma, é obrigação de toda empresa eliminar o estresse no trabalho do seu ambiente organizacional e, com isso, prevenir diversas doenças ocupacionais. Uma das formas de realizar isso é criar um ambiente de mais comunicação e colaboração dentro da sua organização.

Isso significa que os seus colaboradores devem se sentir confortáveis para apontar problemas que estão gerando estresse no trabalho. Além disso, sempre que um problema for relatado, ele deve ser analisado com cuidado e é essencial que você crie planos de ação para eliminar esse fator estressante.

Além disso, é necessário substituir a competição pela colaboração. Os seus funcionários e gestores devem estar atentos às necessidades dos seus colegas e subordinados, prontos para ajudá-los a enfrentar dificuldades e superar desafios.

Também é essencial contar com a ajuda de profissionais da área da saúde do trabalho para eliminar o estresse na sua empresa. Esses profissionais são mais bem capacitados para avaliar os seus colaboradores e identificar situações de risco que poderiam desencadear algumas dessas doenças. Além disso, também têm maior conhecimento sobre como eliminar esses riscos e criar um ambiente que gere mais satisfação, qualidade de vida e motivação para os seus colaboradores.

Portanto, a saúde do seu colaborador deve estar em primeiro lugar no seu ambiente de trabalho. O estresse no trabalho é prejudicial para todos os envolvidos com a sua empresa e você deve criar estratégias para combatê-lo. Lembre-se que investir em boas práticas de saúde pode trazer benefícios para a sua empresa!

E, para se preparar para fiscalizações do Ministério do Trabalho, baixe o nosso e-book que está no fim desse artigo! Nele você encontra informações sobre toda a documentação necessária no caso de fiscalizações e dicas sobre como agir nessa situação!

José Cláudio Rangel Tavares

José Cláudio Rangel Tavares

Médico graduado em 1992, fez residencia em Clínica Médica até 1994. Especialista em Medicina do Trabalho e Medicina de Trafego e atua como perito em causas trabalhistas. Fundou em 2008 uma Consultoria em Saúde Ocupacional onde trabalha como Médico do Trabalho Coordenador em empresas de vários segmentos (indústria, mineração, sondagem, eletrificação e terceirização de serviços). Trabalha na gestão e Serviços em Saúde e Segurança do Trabalho usando Tecnologia para atender as demandas do setor.

Deixe seu comentário

EBOOK – QUAIS DOCUMENTOS A EMPRESA DEVE POSSUIR E COMO AGIR EM UMA FISCALIZAÇÃO.

Cadastre-se para receber o "Guia Essencial de EPIs" no seu e-mail.