Medicina e Segurança do Trabalho

Fácil e Descomplicada

Como fazer uma gestão de passivo trabalhista eficiente?

Uma das maiores preocupações de qualquer empregador é com relação à gestão de passivo trabalhista. São muitas leis e regulamentações que por vezes podem até confundir tanto os donos das empresas, quantos os empregados.

As alterações realizadas na legislação em 2017, prometem beneficiar os donos das empresas. No entanto, muitos riscos ainda existem e devem ser evitados. Por isso, para ajudar você a gerenciar melhor os riscos trabalhistas da sua empresa, criamos este post com 5 dicas importantes.

O que é a gestão de passivo trabalhista?

Antes de tudo, vamos esclarecer o que é um passivo trabalhista. O passivo trabalhista é a soma em valores monetários (ou seja, dinheiro) que são acumulados negativamente por uma empresa quando esta não cumpre as obrigações trabalhistas da legislação vigente. Em outras palavras, é uma dívida que a empresa faz por não cumprir a lei.

Logo, a gestão de passivo trabalhista visa evitar que esses valores se acumulem por meio de práticas que garantem o cumprimento das leis ou, quando isso não é possível, a redução dos impactos financeiros.

Como evitar o passivo trabalhista?

Para evitar o passivo trabalhista existem diversas ferramentas e metodologias no mercado. Vamos mostrar 5 práticas que podem ajudar na sua empresa.

  1. Conheça a fundo a legislação vigente

Essa é a mais importante de todas as dicas. O conhecimento profundo e integral da legislação relacionada ao ramo de atuação da sua empresa é fundamental para garantir que tudo será seguido corretamente.

É papel dos setores de RH e jurídico estarem a par de tudo. Faça com que estes dois setores estejam sempre em contato e em perfeita sintonia.

  1. Realize auditorias internas com frequência

Uma das formas mais eficientes de saber se está tudo certo é por meio de auditorias. Crie o hábito de auditar os processos internos da sua empresa.

Para empresas que possuem riscos maiores com relação à saúde e segurança do trabalho, a atenção deve ser redobrada.

  1. Mantenha o arquivo atualizado e organizado

Boa parte do passivo trabalhista é gerado por falta de documentação. Por isso, é imprescindível que os arquivos trabalhistas estejam sempre muito bem organizados e atualizados.

Não esqueça de coletar as assinaturas em todos os recibos, principalmente os recibos de pagamento, de férias e de recebimento de uniformes e EPI.

  1. Provisione os passivos trabalhistas

Alguns passivos acabam acontecendo, mas é muito importante que seu planejamento financeiro esteja alinhado a essa questão. As provisões relativas aos passivos devem ser atualizadas com frequência para que o impacto no caixa da empresa não seja muito grande no momento em que o passivo tiver que ser pago.

  1. Invista em parcerias especializadas

Se sua empresa não é um escritório de advocacia trabalhista, é melhor contratar um. Isso pode sair muito mais barato do que arcar com deslizes causados por falta de domínio do assunto.

Outra parceria que é bastante válida, é com empresas de medicina, saúde e segurança do trabalho. Essas empresas dirão quais são os riscos específicos relacionados ao tipo de negócio e indicarão as melhores práticas a serem seguidas.

Boa parte do passivo acaba sendo revelado no momento da demissão de um empregado. E muitas vezes ele fica chateado com a forma como a demissão aconteceu e acaba entrando com uma ação judicial para “se vingar” da empresa. Para evitar esse problema na gestão de passivo trabalhista, confira nosso post sobre como lidar com a demissão de funcionários da maneira correta.

Deixe seu comentário