FAÇA SEU EXAME MÉDICO

               Tel: (31) 3271-9979

Dicas da medicina ocupacional para os trabalhos Home Office

Trabalhar em casa já foi privilégio para poucos, mas novos estudos sugerem que esse tipo de trabalho está aumentando. Um relatório da CIPD do Reino unido sobre trabalho flexível mostra que 33% dos funcionários pesquisados ​​no ano passado trabalhavam em casa, e outros 7% tinham essa opção disponível. 

Talvez sem surpresa, a maioria dessas posições está em TI e tecnologia mas está hoje evoluindo para as diversas áreas devido a constante evolução e disponibilidade da internet. Significa que trabalhar fora do local – em parte ou em período integral – está se tornando mais viável em uma variedade de atividades.

Além de aumentar a capacidade de adequar-se a compromissos como cuidar de crianças, permitir que os funcionários trabalhem em casa pode oferecer benefícios, como maior produtividade, motivação aprimorada e melhor retenção. 

Embora alguns empregadores possam estar preocupados com o fato de os trabalhadores estarem “fazendo outras atividades em vez de trabalhar “, uma pesquisa da Universidade de Stanford (3) descobriu que deixar os funcionários trabalhar remotamente levou a um aumento de 13% na produtividade, melhoria da satisfação no trabalho e taxas de atrito caindo pela metade.

Esses achados podem ser devidos, em parte, aos trabalhadores externos, que normalmente têm mais controle na programação e organização de seu trabalho. Isso pode promover uma motivação intrínseca mais alta, que por sua vez afeta positivamente o esforço de trabalho (4). 

Eles também podem trabalhar de maneira mais produtiva devido a menos distrações ou interrupções de colegas – principalmente em escritórios de plano aberto – ou para proteger seu arranjo de trabalho remoto como uma forma de reciprocidade.

Mantendo limites saudáveis

Embora a flexibilidade nos padrões de trabalho possa ter efeitos positivos na motivação e na produtividade, como isso afeta o bem-estar dos funcionários? 

Um  relatório das Nações Unidas  (5) sugere que, embora o trabalho remoto possa oferecer maior equilíbrio entre vida pessoal e trabalho – evitando ou minimizando o tempo de deslocamento, por exemplo – 30% dos funcionários que trabalham regularmente em casa relatam altos níveis de estresse, em comparação com 25% dos Trabalhadores de escritório.

Ao permitir flexibilidade, também pode tornar o trabalho onipresente, obscurecendo as fronteiras entre o trabalho e outros aspectos da vida das pessoas. Sem uma estrutura mais formal de horário de trabalho definido ou a necessidade de sair do escritório para pegar um determinado trem, por exemplo, o trabalho pode vazar mais facilmente para a vida pessoal, comprometendo potencialmente atividades como exercício físico, tempo com a família e amigos ou tempo de inatividade simplesmente descansar e digerir. 

Garantir que os funcionários façam pausas regulares é amplamente reconhecido no local de trabalho físico, mas os que trabalham fora do local são frequentemente deixados a si mesmos para gerenciar a dinâmica de seus dias.

Embora estar no local de trabalho não ofereça imunidade contra esses efeitos – já que muitos funcionários continuam trabalhando por meio de intervalos ou ‘fora do expediente’ em smartphones e laptops – os funcionários remotos podem precisar ser mais rigorosos sobre como estabelecem seus limites para reduzir o risco de intensificação do trabalho.

As organizações podem ajudar incentivando os funcionários que trabalham remotamente a comunicar sua disponibilidade a suas equipes, a ajudar a gerenciar expectativas e reduzir o risco de que os limites fiquem embaçados. É preciso tomar cuidado para garantir que os benefícios de fornecer flexibilidade para executar a escola ou marcar consultas médicas, por exemplo, não sejam superados pelos funcionários que sentem a necessidade de estar constantemente disponível.

Ajudar os trabalhadores remotos a se sentirem socialmente conectados

Um relatório da Eurofound (7) sugere que “um dos aspectos mais problemáticos do trabalho móvel parece ser o isolamento e a falta de acesso ao compartilhamento informal de informações que ocorre em um local fixo de trabalho”. 

Do ponto de vista do bem-estar, isso é importante, pois ter uma rede de relacionamentos fortes pode proteger contra o impacto de contratempos, desafios e adversidades (8).

Os gerentes podem promover relações de trabalho mais fortes incentivando projetos que permitam aos membros da equipe colaborar e progredir em direção a metas e objetivos compartilhados. Em vez de depender demais de e-mail ou telefonemas, as reuniões na Web podem ajudar a criar conectividade, permitindo que os funcionários que trabalham remotamente vejam o rosto e a linguagem corporal um do outro, além de facilitar a conversa através de documentos compartilhados.

A comunicação regular, como chamadas semanais ou quinzenais, também pode ajudar os funcionários remotos a se sentirem mais conectados e fornecer uma oportunidade para atualizações de status em projetos e desenvolvimentos organizacionais. Também é importante oferecer aos trabalhadores remotos as mesmas oportunidades de treinamento e desenvolvimento que os outros funcionários, além de elogiar e reconhecer o que é devido. 

Abordagem dupla

As práticas organizacionais atuais não atendem suficientemente à necessidade de orientação sobre como gerenciar as complexas mudanças na vida profissional, “deixando aos indivíduos a criação de suas próprias soluções, com graus variados de sucesso e fracasso”. Pode-se argumentar que existe uma responsabilidade conjunta entre funcionários e empregadores de fazer ajustes para obter os maiores benefícios de acordos flexíveis.

Os funcionários que trabalham remotamente podem se sustentar obtendo insights sobre os propulsores de seu próprio bem-estar, aprendendo como definir e comunicar seus limites para manter um equilíbrio saudável entre trabalho e outros aspectos de suas vidas, e envidando esforços para permanecer conectados aos colegas.

Enquanto isso, os empregadores podem apoiar os trabalhadores remotos incentivando e modelando comportamentos saudáveis ​​(incluindo a comunicação de expectativas) e fornecendo orientações específicas ao contexto sobre o uso da tecnologia. Promover o trabalho em equipe, a colaboração e a comunicação regular também ajudará a construir fortes relações de trabalho, o que, por sua vez, provavelmente aumentará o envolvimento e o moral.

Os indivíduos trabalham em casa por vários motivos. Talvez você seja um pai que fica em casa ou talvez seu escritório esteja em reforma. Talvez você esteja doente da gripe ou, no que diz respeito às manchetes recentes, tentando se isolar à medida que surgem casos de coronavírus em todo o país. Qualquer que seja o motivo do “teletrabalho”, existem maneiras de garantir que você esteja sendo produtivo, saudável e feliz enquanto trabalha em casa.

Trabalhar em casa parece um luxo, mas vem com vários desafios. 

E se você tiver problemas de conectividade com colegas de trabalho ?

E se você precisar de algo do seu escritório ao qual não tenha acesso? 

E se você for bombardeado com outras distrações domésticas, como animais de estimação, familiares e eletrônicos?

A adoção dessa abordagem em duas frentes para apoiar trabalhadores remotos provavelmente garantirá que os empregadores e os funcionários desfrutem dos benefícios do trabalho flexível e incentivem um alto desempenho saudável e sustentável.

Fazer o seu trabalho é importante para as empresas, mas manter-se saudável (mental e fisicamente) é igualmente crucial para os trabalhadores em casa. Trata-se de criar limites entre o trabalho e a vida pessoal, e isso pode ser um ajuste difícil. Aqui estão algumas dicas para o teletrabalho, o trabalho em casa, o auto-isolamento ou até a auto-quarentena – independentemente do seu raciocínio.

Duas dicas de ouro

1. Manter horas regulares

Defina um cronograma e cumpra-o. Trabalhar horas designadas e depois parar quando essas horas acabam dará ao seu cérebro tempo para trabalhar e tempo para descansar. Embora trabalhar remotamente signifique que haja mais flexibilidade com sua programação pessoal de vida, é melhor seguir uma programação em que você pode ser produtivo, realizar seu trabalho e encerrar o dia quando o horário de trabalho terminar.

2. Crie uma rotina

Os seres humanos são criaturas de hábitos – e isso ocorre em parte porque a rotina nos ajuda a nos preparar mental e fisicamente para as coisas. Seja tomar uma xícara de café todas as manhãs, fazer alongamentos matinais ou levar o cachorro para passear, criar uma rotina matinal pode ajudar muito você a se preparar para o dia de trabalho em casa.

Também é importante pensar em outros controles também. Trabalhar de pijama pode funcionar para alguns, mas pode não ser produtivo para outros. Embora o teletrabalho exija alguns ajustes nos hábitos e rotinas, é importante que todos os funcionários trabalhem para entender como viver e trabalhar de maneira saudável – tanto no escritório como em casa.

Lembre-se dessas dicas para trabalhar em casa e lembre-se de que a saúde física e mental é tão importante para os trabalhadores remotos quanto para os funcionários no escritório ou no local. No entanto, os empregadores também têm responsabilidades legais pela segurança do local de trabalho em casa. 

Responsabilidades das empresas no caso do teletrabalho.

O teletrabalho segue normas especificas na atual legislação mas mantem a característica de emprego formal. O empregador deve seguir as normas de medicina do trabalho no tocante aos exames ocupacionais obrigatórios.

Embora as responsabilidades dos empregadores pela segurança e saúde de seus trabalhadores domésticos sejam inferiores às do escritório ou no local da empresa, algumas regras existem. A diretiva e conformidade as diversas leis no trabalho devem ser observadas pelas empresas no sentido de:

  • Ainda não há como avaliar risco ocupacional nem fiscalizar o ambiente doméstico do teletrabalho pelas autoridades competentes
  • Até o momento não há responsabilidade das empresas pelos home office dos seus funcionários

Acidente de trabalho nos casos de teletrabalho segundo a nossa legislação.

E quanto a registrar acidentes de trabalho em casa? Se um funcionário estiver trabalhando em casa, quando o acidente ou doença pode ser considerado relacionado ao trabalho? 

Lesões e doenças podem ocorrer enquanto um funcionário está trabalhando seja em casa ou no ambiente em que ele foi contratado para realizar suas atividades.  Serão consideradas relacionadas ao trabalho se a lesão ou doença ocorrer enquanto o funcionário estiver realizando o trabalho e a lesão ou a doença tiver nexo comprovado.

Como comprovar o nexo? Lanço este desafio a você. Eu ainda não sei como fazer e não participei de nenhuma causa neste contexto. Sinta-se a vontade para opinar.

Referências

1) https://www.cipd.co.uk/knowledge/work/trends/megatrends/flexible-working

2) https://www.cv-library.co.uk/recruitment-insight/why-you-should-consider-remote-working-as-your-next-career-move/

3) https://www.gsb.stanford.edu/faculty-research/publications/does-working-home-work-evidence-chinese-experiment

4) https://econpapers.repec.org/article/sprschmbr/v_3a70_3ay_3a2018_3ai_3a1_3ad_3a10.1007_5fs41464-017-0043-x.htm

5) http://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/—dgreports/—dcomm/—publ/documents/publication/wcms_544138.pdf

6)  https://www.emerald.com/insight/search?q=the+new+nowhere+land&showAll=true

7) https://www.eurofound.europa.eu/publications/report/2015/working-conditions-labour-market/new-forms-of-employment

8) https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/00909882.2018.1426707

José Cláudio Rangel Tavares

José Cláudio Rangel Tavares

Médico graduado em 1992, fez residencia em Clínica Médica até 1994. Especialista em Medicina do Trabalho e Medicina de Trafego e atua como perito em causas trabalhistas. Fundou em 2008 uma Consultoria em Saúde Ocupacional onde trabalha como Médico do Trabalho Coordenador em empresas de vários segmentos (indústria, mineração, sondagem, eletrificação e terceirização de serviços). Trabalha na gestão e Serviços em Saúde e Segurança do Trabalho usando Tecnologia para atender as demandas do setor.

Deixe seu comentário

EBOOK – QUAIS DOCUMENTOS A EMPRESA DEVE POSSUIR E COMO AGIR EM UMA FISCALIZAÇÃO.

Cadastre-se para receber o "Guia Essencial de EPIs" no seu e-mail.