FAÇA SEU EXAME MÉDICO

Tel: (31) 3271-9979

Ruído no trabalho – 8 medidas adequadas para a proteção do trabalhador.

 Milhares de trabalhadores todos os anos sofrem de perda de audição devido a níveis elevados de ruído no trabalho. A exposição a curto prazo a ruídos pode causar apenas zumbidos temporários , mas repetidas exposições ao ruído alto pode levar a zumbido permanente e / ou perda de audição.

  • Barulhos no local de trabalho também pode causar:
  • Redução da produtividade
  • Incapacidade de se concentrar ou se comunicar de forma eficaz
  • Estresse físico e psicológico
  • Aumento da chance de acidentes

Para evitar esses problemas, os empregadores devem proteger adequadamente seus funcionários e implementar um programa de prevenção de perda de audição.

Este tipo de programa, se implementado com sucesso, beneficia a empresa, reduzindo despesas médicas, custos de faltas do trabalhador e minimiza ou elimina os efeitos a longo prazo a perda auditiva.

Veja oito passos que você pode tomar para criar um programa de prevenção de perda de audição bem sucedida:

1) realizar um PCA – Programa de Conservação Auditiva

Você deve primeiro realizar uma auditoria. Isso vai ajudar a identificar o que está atualmente em vigor, o que está funcionando e o que precisa ser mudado. Muitas vezes, é uma boa ideia para trazer um especialista para realizar a auditoria, como eles fornecem informações adicionais e pode ajudar a identificar se o seu programa está em conformidade com a OSHA e outros regulamentos.

2) monitorar a exposição de ruído

Os níveis de ruído devem ser monitorizados regularmente para ver onde pode haver perigos em seu local de trabalho. É importante identificar com precisão os trabalhadores expostos ao ruído igual ou superior a 85 decibéis em média mais de 8 horas de trabalho. Os empregadores devem monitorar os funcionários que atendem a estes critérios e a medição deve incluir todo ruído contínuo, intermitente e impulsivo dentro de uma faixa de 80 decibéis a 130 decibéis.

3) Implementar Controles de Engenharia de segurança e administrativos

Sempre que possível, você deve usar controles de engenharia para garantir que os trabalhadores não sejam expostos ao ruído igual ou superior a 85 dBA em 8 horas. Os controles de engenharia incluem redesenhar equipamentos para eliminar fontes de ruído e construindo barreiras que impedem o ruído de alcançar um trabalhador. Se você é incapaz de fazer essas alterações, controles administrativos, tais como alterações de agendamento e rotatividade da mão de obra são alternativas.

4) Realizar  avaliação audiométrica – audiometria.

Avaliação audiométrica é crucial para o sucesso do programa de prevenção de perda auditiva, uma vez que é a única maneira de determinar se a perda auditiva ocupacional está acontecendo. Exame de audiometria é realizado por um fonoaudiólogo ou médico do trabalho. Elementos importantes do programa incluem audiogramas de base, periódicas, formação e acompanhamento dos procedimentos.

 5) fornecer proteção auditiva adequada

Quando os funcionários estão expostos a níveis sonoros no ou superior ao nível de ação (85 dBA), dispositivos de proteção auditiva, tais como protetores auriculares  devem ser disponibilizados. Proteção auditiva deve ser selecionada com base no ambiente de suas instalações, o nível de ajuste e conforto para cada funcionário e oferecer o melhor nível de proteção.

6)  Educar e motivar os funcionários

É importante marcar claramente, com sinais de alerta visíveis, todas as áreas onde a exposição ao ruído seja igual ou superior a 85 dBA. Isso vai ajudar os funcionários a identificar quando uma proteção adicional é necessária e mostra que você está tomando as medidas adequadas para protegê-los. Além disso, a formação deve ser conduzida em uma base regular. Este consiste em educar os funcionários sobre os efeitos do ruído, a seleção, ajuste e cuidados de protetores auriculares e o propósito de exames de audiometria.

7) Mantenha registros adequados

Registros do programa de conservação auditiva deve incluir a documentação de todos os itens para cada elemento do programa. registros de exposição ao ruído devem ser mantidos por pelo menos dois anos .

8) Avaliar o programa

Como outros programas de segurança, programas de conservação auditiva requerem avaliação periódica para assegurar a sua eficácia. Comente com a sua equipa de gestão e os funcionários para ver o que está funcionando e o que não é e fazer mudanças quando necessário.

Dr. José Cláudio Rangel Tavares é Médico do Trabalho, Perito Assistente da Justiça do Trabalho e Responsável Técnico nas empresas  OKUP  | Fortrab

 

Baixe aqui o EBOOK - Quais documentos a empresa deve possuir e como agir na fiscalização.
Insira seu email para receber o link
I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )
Fique tranquilo! Não enviamos spam
José Cláudio Rangel Tavares

José Cláudio Rangel Tavares

Médico graduado em 1992, fez residecia em Clínica Médica até 1994. Especialista em Medicina do Trabalho e Medicina de Trafego e atua como perito em causas trabalhistas. Fundou em 2008 uma Consultoria em Saúde Ocupacional onde trabalha como Médico do Trabalho Coordenador em empresas de vários segmentos (indústria, mineração, sondagem, eletrificação e terceirização de serviços). Trabalha na gestão e Serviços em Saúde e Segurança do Trabalho usando Tecnologia para atender as demandas do setor.

Deixe seu comentário

Posts Relacionados

EBOOK – QUAIS DOCUMENTOS A EMPRESA DEVE POSSUIR E COMO AGIR EM UMA FISCALIZAÇÃO.

Cadastre-se para receber o "Guia Essencial de EPIs" no seu e-mail.

Fechar Menu