Medicina e Segurança do Trabalho

Fácil e Descomplicada

Sentado? Então atenção à postura.

A Fisiologia do Sentar

A postura ao sentar exige cuidados, veja essas dicas.

Permanecer sentado durante horas a fio, mesmo em atividades pouco exaustivas, pode causar fadiga, distúrbios circulatórios e dores físicas mesmo em cadeiras que são um verdadeiro primor em termos de estética. Imagine- se, pois, o que sentem os operadores máquinas de costura industrias, telefones, monitores e computadores.

Com sua atenção voltada ao trabalho e concentrados na tarefa, o que exige atenção e cria tensões, é fácil que assumam, com o passar do tempo, posturas que serão prejudiciais à sua saúde.

No Brasil, estima-se que o aumento das lombalgias durante o trabalho por não ser reconhecido pelos órgãos da Previdência como se tratando de “acidentes de trabalho” – deve-se à postura incorreta quando se fica sentado, vício provavelmente criado por cadeiras muito bonitas porém completamente inadequadas ergonomicamente às finalidades a que se destinam.

As Dores do Sentadoergonomia

Aqui estão assinaladas as percentagens de incidência das dores que afligem muitos dos funcionários. Nenhuma parte do corpo escapa de uma incidência menor ou maior de dor quando a cadeira não proporciona o devido suporte à estrutura óssea, exercendo pressão indevida sobre os tecidos moles do corpo e interferindo na circulação sanguínea.

As causas do Desconforto

Uma causa freqüente do cansaço é o fato do assento ser geralmente demasiado alto, provocando dores devido à pressão na dobra do quadril.

Além do mecanismo de regulagem, para precisar a altura, o assento deve ser moldado com depressões para o apoio às tuberosidades isquiáticas. Outra dor comum é a sentida nos joelhos e coxas: os músculos das pernas permanecem contraídos por tempo prolongado, os vasos sanguíneos são prensados pelo tecido muscular e, assim, o sangue não corre livremente pelos músculos, provocando entorpecimento e dor.

Da mesma forma, a corrente sanguínea pode ser estrangulada na altura em que se apoia na borda do assento, provocando o afloramento dos capilares sanguíneos à epiderme, além de entorpecimento dos membros inferiores e até o aparecimento de varizes.

As dores nas costas são a maior fonte de queixas, da queda de rendimento, fadiga no trabalho e até afastamentos para a plena recuperação.

A parte mais sensível, quando em posição sentada, é a região renal, pois o peso do corpo fica completamente assentado sobre a mesma, razão pela qual deve estar apoiada no encosto para que a espinha dorsal não se curve demasiadamente para trás. A regulagem da altura e o ângulo do encosto têm especial importância nestes casos.

  • os pés devem estar completamente apoiados;
  • a altura do assento deve permitir a formação de um ângulo reto das coxas com as pernas;
  • a região renal deve estar completamente apoiada no encosto;
  • o assento deve apresentar depressões para evitar que o peso da perna pressione os vasos sanguíneos, estrangulando-

Ângulos de curvatura do encosto

Tem por função possibilitar a formação de ângulo reto (90º) entre coxas e pernas, dando liberdade a circulação sanguínea. Os pés devem permitir um apoio ao solo ou em outra formação semelhante.

Evitam o estrangulamento dos vasos sanguíneos, impedindo a ocorrência de formigamentos causados pela dormência nas pernas, consequentes dores e o possível surgimento de varizes.

De formação anatômica visando o apoio às tuberosidades isquiáticas, proporcionando melhor ventilação e melhor distribuição de peso, obtendo perfeita circulação sanguínea na região.

Também moldado anatomicamente, possibilitando apoio à região lombar, favorecendo a distribuição de peso do tronco, evitando o surgimento de dores nos rins e na coluna vertebral.

 

ergonomia2

 

O Papel da Anatomia

O perfil do assento deve ter o formato que possa acompanhar a anatomia humana.

Num design tecnicamente perfeito, o corpo como um todo, as vértebras lombares e as costas são as diretrizes básicas para a concepção de um projeto obedecendo aos princípios da ergonomia.

  • O corpo deve contar com suporte pleno em qualquer posição sentada;
  • As vértebras lombares devem ser suportadas em seus pontos estratégicos; as costas devem ser apoiadas até o topo, para evitar a tensão dos músculo.

A cadeira deve permitir períodos de relaxamento do efeito dinâmico (a mudança da posição sentada quando desejado), alterando desta forma os períodos de tensão e relaxamento de vários grupos de músculos.

É preciso lembrar que diversos funcionários se alternarão dividindo os mesmos postos de trabalho, como por exemplo a operadora de máquina de costura, processamento de textos e a telecomunicação.

Você está bem sentado?

Na vida profissional moderna, a posição sentada desempenha um papel cada vez mais importante. Vários problemas são causados por assentos inadequados. É preciso conhecer os princípios fundamentais da ergonomia e da posição sentada anatomicamente correta para poder escolher o assento mais adequado e adotar uma posição sentada que favoreça a saúde.

Eis alguns dados importantes:

O principal problema localiza-se na coluna. Quando em posição sentada, a bacia inclina-se para trás, a coluna vertebral curva-se e os discos intervertebrais são comprimidos pelas vértebras lombares. O encosto deverá, portanto, apoiar o tronco inferior na região lombar para assim proteger a coluna vertebral dessas tensões.

Não existe posição sentada prolongada que seja saudável. Uma cadeira ergonomicamente desenhada deverá permitir estas mudanças de posição. É também fundamental a relação entre as medidas corporais, as dimensões da cadeira e a distância da superfície de trabalho.


Dr. José Cláudio Rangel Tavares é Médico do Trabalho, Perito Assistente da Justiça do Trabalho e Responsável Técnico nas empresas OKUP | Fortrab


 

Deixe seu comentário